Monthly Archives: agosto 2017

Combustíveis: Setembro inicia com novo aumento de gasolina e diesel.

Os preços dos combustíveis em todo o país terão mais um aumento. A Petrobrás comunica que irá elevar os valores do diesel em 0,8% e da gasolina em 4,2% nas refinarias a partir de 1º de setembro. É o maior reajuste feito pela estatal desde o início de julho, quando estabeleceu uma política que permite reajustes diários, caso necessário.

Essa elevação nos preços acompanha a disparada na cotação internacional, causada pelo furacão Harvey nos Estados Unidos. Os moradores de regiões próximas ao Texas vêm enfrentando falta de combustível depois que um dos maiores oleodutos do sudeste norte-americano teve que interromper as operações. A gasolina ficou 15% mais cara naquele país e pode subir ainda mais.

A consultoria Datagro disse à agência Reuters que a Petrobrás já operava com preços mais de 7% abaixo dos praticados no mercado internacional. Com o aumento dos valores no exterior, a estatal não teve escolha e aplicou o reajuste. A empresa já havia anunciado uma elevação de 0,5% no preço do diesel e de 2,5% no da gasolina a partir de hoje (31).

Além da nova política que permite à Petrobrás reajustar os valores de acordo com o mercado internacional, os brasileiros tiveram de lidar com o aumento nos impostos de PIS e Cofins sobre os combustíveis. Apesar das liminares que impediram a elevação das taxas, o governo conseguiu derrubá-las. A medida irá ajudar a equilibrar as contas públicas, porém a gasolina foi de R$ 0,38 para R$ 0,79 por litro.

Miruna Genoino lança o livro “Felicidade Fechada” na Câmara de Ribeirão Pires.

FELICIDADE FECHADA, livro de Miruna Genoino narra, a partir dos relatos e memórias afetivas da filha, a trajetória do pai, o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) e militante de esquerda José Genoino, desde a condenação em 2005 à liberdade em 2014.

A 1ª edição lançada em março de 2017, arrecadou coletivamente, pela plataforma digital Catarse, R$ 90 mil em menos de 11 dias. “Ninguém notou. Ninguém morou na dor que era o seu mal. A dor da gente não sai no jornal”: os versos do compositor e cantor Chico Buarque de Holanda, podem ser associados livremente como poesia musical do livro Felicidade Fechada de Miruna Genoino, se a leitura for considerada como um ato de escuta do outro.

Com lançamento prevista em Ribeirão Pires em 01 de setembro, o título transcende a condição de livro com teor jornalístico e factual ao expor um relato sensível e humano da filha de José Genoino, que assumiu para si a tarefa em ser a “expressão pública da família”, durante o processo e a condução do julgamento de seu pai na Ação Penal 470, conhecida popularmente como “Mensalão”.

A força de expressão narrativa de Felicidade Fechada encontra-se na consanguinidade existente entre a memória afetiva e a memória material concreta de uma filha que tece, recordando-se do pai na sua dimensão de força e fraqueza, coragem e fragilidade, como cidadão anônimo e político. Em suma, como “um humano, demasiadamente humano”, contornando aquilo que condiciona, no sentido positivo, a ação política: os laços de fraternidade e solidariedade.

Como salienta José Genoino no Posfácio da edição: ‘Este livro de Miruna é o contato vivo com a memória, olhando o presente e o futuro de uma maneira muito concreta”.

A publicação ainda conta com prefácio do vereador eleito Eduardo Suplicy, amigo da família.

O evento em Ribeirão Pires tem o apoio do Coletivo de formação do PT.

Vem aí um novo aumento dos combustíveis, a contar desta terça-feira (29).

A partir de amanhã (29), o preço da gasolina nas refinarias sofrerá um aumento de 1,1% e o do diesel de 0,4%. O anúncio foi feito hoje (28) pela Petrobras e segue a nova política de ajuste de preço, que tem como base o preço de paridade de importação.

O ajuste anterior havia sido anunciado no sábado (26), com aumento de 1,2% na gasolina e diminuição de 0,7% no diesel. A nova política foi adotada no começo de julho e, desde então, os reajustes são feitos quase que diariamente. Os percentuais podem ser acompanhados no site da Petrobras.

Amazonas já tem novo Governador.

Com 59,26% dos votos válidos, Amazonino Mendes (PDT) é eleito para governar o Estado do Amazonas pela quarta vez. O pedetista venceu Eduardo Braga (PMDB) que obteve 40,74% dos votos no segundo turno da eleição suplementar realizada neste domingo, 27.

O Amazonas realizou uma nova eleição porque no dia 4 de maio o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou os mandatos do então governador, José Melo (PROS), e de seu vice, José Henrique de Oliveira (SD), por compra de votos na eleição de 2014. Amazonino Mendes vai comandar o Estado em ‘mandato tampão’ de 14 meses.

Informações do TRE-AM, tanto no primeiro, quanto no segundo turno, as votações foram marcadas pelas altas taxas de abstenção, em torno dos 25% nos dois pleitos. Neste domingo, as abstenções (25,46%) e os votos em branco (4,16%) e nulos (20,46%) somaram 50%.

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-AM) definiu que a diplomação dos eleitos será realizada no próximo dia 2 de outubro.

Ônibus urbano perde cerca de 3 milhões de usuários diariamente, diz associação.

Cerca de 3 milhões de passageiros deixam de usar o ônibus como transporte público diariamente no país, informou hoje (23) a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, ao divulgar os dados anuários referentes a 2016/2017. “É uma queda expressiva e preocupante”, disse o presidente da entidade, Otávio Cunha. A pesquisa foi  feita em nove capitais. Acesse o arquivo clicando aqui

Segundo o relatório da associação, nos últimos três anos, o nível da queda de passageiros atingiu 18,1%. Só no ano passado, o número de passageiros transportado diariamente por ônibus caiu 4,6% em relação a 2015. A associação faz o monitoramento dos dados de transportes públicos urbanos desde 1994, totalizando 24 anos de acompanhamento. Para o mês de outubro, a previsão é de queda de 46,3% no número de passageiros transportados.

Para o presidente da associação, Otávio Cunha, fatores como a tarifa, o tempo de viagem, o estado de cada veículo e o trânsito cooperam para a queda do transporte nos ônibus. “Pesquisas apontam que a redução da tarifa e a volta dos investimentos em infraestrutura podem atrair novamente o usuário do ônibus como transporte público. A melhoria da qualidade do transporte, atrairá demanda”, afirmou.

Cunha ressaltou que pequenas ações podem trazer resultados positivos e rápidos. “Pequenos investimentos, como a criação de faixas exclusivas e o monitoramento, para evitar invasões, podem encurtar o tempo de viagem. Isso influencia na hora da escolha do transporte”, disse. “Hoje em dia, os ônibus disputam espaço nas vias com os carros e investimentos precisam ser feitos”, acrescentou.

De acordo com o levantamento, o desemprego e a crise econômica são os principais responsáveis pela baixa nos números dos usuários do transporte público. Contudo, Otávio Cunha avaliou que outros fatores contribuem diretamente para o cenário atual. “Temos que levar em conta as distorções do sistema de transporte público urbano, tal como a falta de fontes de financiamento para a tarifa, que hoje é paga, exclusivamente, pelo usuário”, concluiu.

Desde a Constituição de 1988, a atribuição do financiamento do serviço passou a ser dos municípios. Pelo menos 17% dos custos do transporte público estão ligados às gratuidades para idosos, pessoas com deficiência, estudantes e outros motivos, que são financiados pelos usuários que pagam as passagens de ônibus.

Abordagem nos jardins tem de ser diferente da periferia, diz novo comandante da Rota.

O novo comandante da Rota, a tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo, afirmou em entrevista ao portal UOL que seus homens têm de usar abordagens diferentes na região mais rica de São Paulo e na periferia.

É uma outra realidade. São pessoas diferentes que transitam por lá. A forma dele abordar tem que ser diferente“, disse o tenente-coronel Ricardo Augusto Nascimento de Mello Araújo, de 46 anos, que tem sob seu comando cerca de 700 homens da Rota desde o dia 4 de agosto.

A forma dele abordar tem que ser diferente. Se ele [policial] for abordar uma pessoa [na periferia], da mesma forma que ele for abordar uma pessoa aqui nos Jardins [região nobre de São Paulo], ele vai ter dificuldade. Ele não vai ser respeitado“, completou.

Da mesma forma, se eu coloco um [policial] da periferia para lidar, falar com a mesma forma, com a mesma linguagem que uma pessoa da periferia fala aqui no Jardins, ele pode estar sendo grosseiro com uma pessoa do Jardins que está ali, andando“, disse ainda.

Mello Araújo vem de uma família de policiais militares e diz estar na Rota “por idealismo”. Confira aqui a íntegra da entrevista.

Advogada agredida por PM em Formosa do Rio Preto vai à justiça. Tenente Sulivan já é investigado.

Agredida pelo tenente da Polícia Militar (PM) Sulivan no último domingo (20), enquanto acompanhava um cliente no Hospital Municipal de Formosa do Rio Preto, a advogada Verônica Lisboa alega que foi tratada como criminosa enquanto exercia sua atividade profissional.

“Sofri agressões morais e físicas o que ocasionou hematomas na região do pescoço devido a uma gravata e também nos mesmos superiores”

Documentação obtida através de uma fonte, dá conta que a agressão aconteceu quando a advogada Verônica Lisboa foi ao hospital Altino Lemos Santiago para prestar assistência a um filho de uma conhecida que a requisitou, autuado por posse ilegal de arma.

“Logo após o médico iniciar o procedimento de sutura, a senhora Verônica adentrou na sala e se identificou para o policial ali presente como advogada de Cledson, dando-se início um diálogo entre Verônica e o seu cliente. O médico pediu para que aguardasse o término do procedimento pois o Cledson começou a gesticular e assim vindo a atrapalhar o procedimento. A advogada pediu ao cliente que ficasse calado até terminar, mas que ela ficaria esperando o exame de corpo de delito. Em seguida o policial conhecido por Sulivan pediu para que Verônica aguardasse fora da sala e a mesma disse que por direito ia acompanhar o seu cliente. Em seguida Cledson falou que tinha sido agredido pelos policiais na delegacia e conduzido até ali. Verônica solicitou que fosse realizado um exame de corpo de delito. Sulivan pediu para Verônica se retirar novamente da sala ou ele mesmo iria tirar em uso de força. Verônica se negou a sair e em seguida o policial pegou bruscamente no seu pescoço e a puxou para fora, dando voz de prisão ela afirmou que não sairia e que continuaria a acompanhar o cliente, momento em que foi pega com um golpe de gravata e conduzida até a viatura que aguardava na parte exterior no hospital foi finalizado o procedimento no paciente, medicado e liberado o paciente saiu deambulando escoltado pelos policiais”, diz trecho. 

A advogada, vítima de agressão, apresenta diversos hematomas no braço e no pescoço após receber uma gravata (enforcamento)

A advogada realizou exame de corpo de delito que constatou diversos hematomas. Boletim de ocorrência foi aberto em desfavor do tenente Sulivan e a corregedoria da polícia militar já atua no caso.

Outra fonte, nos afirma que imagens de vídeo contendo toda a agressão foi registrado e está sob posse da OAB.

O caso de violência contra a mulher, a advogada Verônica Lisboa, ultrapassou a território baiano. OAB de Barreiras, OAB estadual e Nacional já se manifestaram em repúdio contra o atentado às prerrogativas do exercício da profissão de advogado. Outro manifesto de repúdio, foi externado pelo prefeito de Formosa do Rio Preto, Termosires Neto.

Segundo um jurista consultado “o exercício do advogado deve ser respeitado e a advogada em questão, exerceu em ato ético exercendo a advocacia em caso que inspirava perigo ao detido que se encontrava com lesão constatada e evidente, alegando ter sido vítima de agressão. Existem aqueles que argumentam – sem conhecimento de causa – que Verônica não poderia atuar nesse caso. O fato é que em sendo advogada, num caso de urgência em pleno domingo, será que ela deveria se omitir em atender em pleno domingo?”. 

O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Sub- seção Barreiras, Alessandro Brandão esteve em Formosa do Rio Preto ficou estarrecido pelo que aconteceu com a Advogada Verônica e disse que o Tenente Sulivan tem um histórico de não respeitar a prerrogativa dos advogados e que ele já tinha feito o mesmo ato com outra advogada. O Presidente da Ordem disse que todas as providencias estão sendo tomadas tanto pela OAB Bahia como a OAB Brasil.

Doria é recebido como “presidente” em Tocantins. Prefeito de Ribeirão Pires está na comitiva.

O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), negou nesta segunda-feira, 14, ter o objetivo de fazer pré-campanha para a eleição presidencial de 2018, ao viajar pelo País. O prefeito tucano foi recebido em Palmas pelo prefeito Carlos Amastha (PSB), e por militantes do PSDB que exibiam faixas e camisetas com a inscrição: “Doria presidente”.

Doria exercitou a mordacidade ao dizer desconhecer quem preparou o material publicitário. Segundo o senador Ataídes Oliveira (PSDB), o prefeito não teria ligação com a campanha antecipada.

Oficialmente, o tucano veio à capital tocantinense para uma pauta institucional com empresários, na condição de um dos vice-presidentes da Frente Nacional de prefeitos. “Não se trata de fazer pré-campanha, mas de compartilhar métodos de gestão. (…) De toda forma ajuda sim, a conhecer a realidade do interior do País”, disse ele ao estadão.

Doria tenta repetir a estratégia de seu guru Donald Trump, que tomou de assalto o Partido Republicano e se tornou presidente dos Estados Unidos, deixando para trás nomes tradicionais da máquina partidária. Resta saber como Alckmin agirá para enquadrar sua cria.

Na comitiva de Doria, está o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), que em plena segunda-feira, faltou ao trabalho.

A estupidez que contamina a pureza.

A estupidez e ignorância dos neonazistas e membros da Ku Klux Klan, também conhecida como KKK, em Virgínia, nos EUA. O ódio sendo inserido na pureza das crianças.

Comissão aprova mandato de dez anos para ministros do STF e outros tribunais superiores.

Ascom/STF

A comissão especial que analisa mudanças nas regras eleitorais (PEC 77/03) decidiu limitar a um mandato de dez anos o tempo de permanência dos magistrados indicados politicamente para atuar em tribunais superiores, como o Supremo Tribunal Federal (STF), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Tribunal de Contas da União (TCU). Os integrantes da comissão rejeitaram um destaque do PSDB que pretendia manter a atual regra, que prevê a aposentadoria dos ministros somente aos 75 anos.

O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) alegou que a proposta de mandatos para os ministros e desembargadores federais é boa, mas deveria ser discutida no âmbito de uma reforma do Estado, e não da reforma política. “Minha questão é processual.”

O relator da comissão, deputado Vicente Candido (PT-SP), favorável aos mandatos, disse que a proposta dele mantém uma coerência entre os poderes. “Nós temos mandato de quatro anos e nomeamos pessoas vitalícias”, comparou. O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) defendeu o texto do relator. “O ministro do TCU é votado no Parlamento”, comparou.

Pelas regras atuais, o ministro Alexandre de Moraes, que assumiu no STF após a morte de Teori Zavascki no começo do ano, poderá seguir no tribunal por 26 anos. Hoje ele tem 49. Celso de Mello, o decano da corte, está no Supremo há 28 anos. Caso trabalhe até a aposentadoria compulsória, terá mais quatro anos de trabalho pela frente. Ou seja, poderá completar 31 anos como ministro.

Vice, fundo e distritão

Mais cedo, a comissão rejeitou a proposta do relator de extinguir os cargos de vice-presidente, vice-governador e vice-prefeito. Vicente Cândido defendia a extinção alegando que os vices geram elevados custos à administração público e podem atuar como conspiradores dos titulares dos cargos, em clara provocação ao papel do presidente Michel Temer no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.  Só o PT, o PCdoB e o PPS apoiaram o relator.

Os deputados voltaram a se reunir nesta quinta-feira para votar a reforma política. No início da reunião, Vicente Cândido criticou a alteração feita ontem pela comissão em seu relatório: a substituição do voto proporcional pelo majoritário nas eleições para deputados e vereadores em 2018 e 2020. “O que foi aprovado ontem é uma reforma para os políticos, para os mandatos, e não para a sociedade”, criticou.

O novo modelo, o chamado distritão, favorece a reeleição dos atuais parlamentares, que já são mais conhecidos pelo eleitorado. Os deputados também aprovaram a criação de um fundo com R$ 3,5 bilhões para financiar as campanhas eleitorais. A medida também é alvo de críticas e divide a Câmara. Com informações da Agência Câmara